segunda-feira, 20 de Outubro de 2008

# 270 - Murmúrios misteriosos da consciência...






"Quando tocares, torna-te no toque.
Quando olhares, torna-te nos olhos.
Qando ouvires, toda a tua consciência
deverá chegar aos teus ouvidos.
Ouve uma canção ou ouve os pássaros,
torna-te os ouvidos.
Esquece tudo, como se fosses só ouvidos.
Vai aos teus ouvidos com a totalidade do teu ser.
Nessa altura, os teus ouvidos tornar-se-ão mais sensíveis.
Quando estás a olhar para algo - uma flor
ou um lindo rosto de estrelas - torna-te os olhos.
Esquece tudo o resto,
como se o resto do teu corpo
fosse para além da existência
e a tua consciência se tornasse apenas olhos.
Quando os teus olhos tiverem a capacidade de olhar mais profundamente,
irás ser capaz
de olhar também para o invisível.
O invisível também poderá ser visto,
mas precisas de olhos mais penetrantes para o ver."


(The art of tea, 2001)

Colar com contas sintéticas e metais, e organza.
Peça de I. :)

P.S. As minhas enormes desculpas a quem tem apoiado o Chá de Contas nesta fase de restruturação (a diversos níveis, mas que ainda não conseguiu encontrar o ponto de ebulição ideal), em que as infusões têm sido bem mais diminutas do que é habitual, e em que se constata o atraso (enorme, reconheço!) de resposta a alguns e-mail. O Chá de Contas promete responder o mais prontamente possível a quem sempre mereceu a sua atenção, desejando continuar a merecer o prazer da sua degustação pelos apreciadores de fino paladar...

domingo, 14 de Setembro de 2008

# 269 - Abandono do chá de orquídea...







Da frescura breve do teu olhar guardo a ternura dos dias. Guardo a doçura das palavras, silenciosas que brotavam da tua pele, e o tranquilidade das nossas mãos entrelaçadas, que viviam na procura intensa da fusão perfeita dos destinos da existência. Humedeço os lábios com a recordação do nosso chá de orquídea, inebriante de tamanha simplicidade, perfumado de vivências transbordantes de cicatrizes latejantes. Do momento da sua degustação, abarco o inesperado do encontro e a sublime permissão do dar. E recordo, com melancolia, o poisar da chávena de chá, de corpo lacrimejado de cobre e mel, totalmente abatida pela perda do chá que abrigou. E com tristeza, o som oco que proferiu ao desaparecer, solitária, do salão de chá que a convidou a entrar...

Colar em missangas, com contas de vidro e metais variados.
Preço: 17 euros (+ portes de envio).

terça-feira, 12 de Agosto de 2008

# 268 - Lapin







A família Lapin é dotada de uma doçura semelhante a um chá erva-princípe com mel. A riqueza da singularidade de cada um dos seus elementos é pura como um chá branco. O Timóteo aprecia bolinhos de alfarroba com banana, e come três de uma cajadada só! Por outro lado, a Janaína não vive sem a sua infusão de perpétua roxa e é completamente viciada no perfume de rosas. Já a mãe Adosinda, o que mais adora na vida é ver os seus filhotes felizes e sentir a brisa do mar a fazer dançar as suas orelhas...

Pregadeira em feltro rosa, com folhas verdes.
Peça encomendada por P.

sábado, 2 de Agosto de 2008

# 267 - "Chá de Camomila"





Lá fora o céu é luz e estrelas;
Há um rugido oco do mar.

Tão pouco pensei eu, há um ano atrás,
(...)
Que eu e ele estaríamos agora tão próximos
A beber uma chávena de chá (...)

(Katherine Mansfield)


Pregadeira com conta em vidro, metais e madeiras.
Preço: 5.5 euros. Vendida.

quarta-feira, 30 de Julho de 2008

# 266 - Rodopios...




Dando voltas e mais voltas numa chávena de chá darjeeling, cujo aroma envoca flores de pessêgo e folhas de pinheiro frescas...

Anel em cristais swarovski, modelo 6 flores.
Peça de R.

quinta-feira, 17 de Julho de 2008

Chá anti-roubo!



"Uma mulher japonesa e a filha de seis meses foram surpreendidas em sua casa, esta segunda-feira, por um ladrão armado com uma faca, refere o jornal Asahi. O criminoso arrombou o apartamento e exigiu dinheiro enquanto ameaçava as residentes.

No entanto, os acontecimentos mudaram quando a mãe decidiu servir um chá ao assaltante, enquanto conversava com ele calmamente.

O certo é que a bebida acalmou o ladrão, que largou a faca e começou a fazer um discurso de 20 minutos sobre a sua vida.

A japonesa acabou por dar cerca de 60 euros ao criminoso e correu para a rua a chamar a polícia. O assaltante fugiu antes dos agentes chegarem e está a ser procurado pelas autoridades."

(IOL Diário - 09/07/09)

Mais palavras para quê? É o poder do chá!!! :)

sexta-feira, 11 de Julho de 2008

Aroma de graça...



O Chá de Contas vai estar novamente representado na Feira de Artesanato de Agualva este sábado (dia 12), a dar um aroma da sua graça :) A degustação da bijuteria artesanal está marcada para as 15 horas, mas prolonga-se até às 22 horas, para os apreciadores mais habituados à teína. Infelizmente, só vão faltar mesmo as bolachinhas... Beijinhos e apareçam!