domingo, 25 de novembro de 2007

# 239 - Fantasmas...






Sais, descendo as escadas que conduzem ao incerto. Páras. Páras os passos que receiam ecoar no vazio, parás a vida que foi colhendo tonalidades cinzentas. Sentes o peso do vento nos ombros e o frio a percorrer-te as entranhas. Fechas os olhos, fotografando mentalmente o instante, no desejo de não o esquecer, e pensas. "Direcção? Qualquer uma. Qualquer uma que me direccione ao silêncio." Percorres a rua infinita da escuridão nocturna, consciente do receio da emergência de fantasmas internos enclausurados. A decisão foi feita e o caminho escolhido. Nada mais te resta senão deambular, perdido na imagem turva das lágrimas que não cessam de rolar na superfície lisa do teu rosto, esperando encontrar a chama que tanto procuras...

Brincos em metal, com contas em vidro e metais vários.
Preço: 7.5 euros (+ portes de envio). Vendidos.

1 comentário:

VLSPanda disse...

Adoro o seu trabalho, é encantador, estive no centro cultural de Angra a ver a exposição, adorei, as minha peças predilectas já estavam vendidas, fiquei com muita pena.
De Vanda Sousa